OS FILMES ESTÃO LIBERADOS PARA SEREM ASSISTIDOS NO VK.COM - mas vc terá que se cadastrar na rede social russa - DIVIRTA-SE...

domingo, 15 de setembro de 2013

UMA MÃO GANHA COM DOIS CURINGAS TIRADOS DA MANGA

Em outros tempos e objetivos, tribunais populares resolveriam desvios de condutas e traição... 

Não dá pra pensar que o proletariado possa se referendar em mensaleiros a troco do nada pelo nada, apenas porque são considerados "históricos" dentro do PT na luta contra a ditadura militar, quando na verdade, todos nós sabemos que outras forças da esquerda se fizeram presentes nessa luta quando o PT nem existia...

Passado quase três décadas da abertura política, pouco sabe a juventude sobre essa janela da historia. 

Vale lembrar que uma andorinha sozinha não faz verão, ou seja, centenas de milhares de pessoas deram voz e vez para aqueles que no passado mereceram nosso apoio, mas hoje...

-----------------------------------------------------

Por Celso Lungaretti - Jornalista e escritor
Stalin saiu vitorioso da luta interna do Partido Comunista da União Soviética, na década de 1920. Mas, com seu  socialismo num só país, acabou por engendrar uma repulsiva sociedade totalitária, que tornou execrável a imagem do comunismo  e contribuiu decisivamente para o aborto da revolução mundial, que daria um fim ao pesadelo capitalista.

Já Trotsky, o derrotado, passou à História como o profeta que, antes de todos, vislumbrou a armadilha para a qual marchavam os bolcheviques ("primeiro o partido substitui a classe trabalhadora, depois o Comitê Central substitui o partido e, finalmente, um tirano substitui o Comitê Central"); como o guerreiro que resistiu com unhas e dentes ao desvirtuamento dos ideais marxistas; e como o mártir que deu a vida em nome do internacionalismo proletário.

Quem foi o verdadeiro vencedor? O que conquistou o poder mas, no longo prazo, seria o principal artífice de uma derrota de proporções catastróficas? Ou o que perdeu o poder, mas permanece até hoje como um grande referencial da transformação revolucionária de que a humanidade desesperadamente carece?

Foi o que levou o extraordinário historiador marxista Isaac Deutscher a discorrer sobre  derrota na vitória  e  vitória na derrota.

Infelizmente, depois das jornadas heróicas de 1968 e anos seguintes, grande parte da esquerda voltou ao maniqueísmo, utilitarismo e imediatismo típicos de era stalinista.
Antes, éramos percebidos como a alternativa à absoluta amoralidade da burguesia decadente, que nem sequer crê mais nos valores outrora professados. Ahora, no más!

1989: o coroamento da obra de Stalin
De um lado Israel barbariza até frotilhas humanitárias e massacra sistematicamente populações indefesas, lixando-se para as sucessivas condenações na ONU e para a indignação de todas as instituições e pessoas civilizadas do planeta.

Os EUA chegam ao cúmulo de manter presos, em Guantánamo, coitadezas que sua Justiça mandou soltar, sob o pretexto de que país nenhum quer recebê-los (noutros tempos, libertaria até o próprio Bin Laden, se um tribunal assim decidisse). 

Do outro lado, Chávez introduziu o método da escalada dissimulada ao poder, subjugando pouco a pouco o Legislativo e o Judiciário com favorecimentos e intimidações, sem a integridade de uma verdadeira revolução, que proclama seus objetivos, luta abertamente por eles e deles tem orgulho.

E, mesmo no Brasil, a política foi convertida num Oeste selvagem, com o tiroteio entre esquerda e direita passando longe de quaisquer ideais e princípios. Só importa alvejar o inimigo, mesmo que utilizando os mesmíssimos métodos do inimigo.

Foi como começou o  mensalão: ao invés de denunciar e combater a podridão entranhada na política brasileira, como sempre prometeu que faria, o PT optou por comprar apoios como os partidos à direita sempre fizeram.

É injusto que só os  mensaleiros  sejam punidos, quando práticas equivalentes se repetem em todos os níveis das administrações municipais, estaduais e federal, sob o manto de uma impunidade avassaladora? É.

Mas, eles são verdadeiramente inocentes? Não. E mesmo seus mais ardentes defensores, no fundo, sabem disto.
Sem esquerda autêntica, o que sobra é uma geléia geral
Eles estão sendo acusados de práticas revolucionárias, que justificassem o recebimento de solidariedade revolucionária? Não. Subornar a pior escória da política brasileira para garantir a maldita governabilidade é simplesmente indefensável sob o prisma revolucionário.

Então, as pessoas ditas de esquerda que querem salvá-los a qualquer preço, enquanto o PIG martela dia e noite que poderosos nunca cumprem pena no Brasil, o que fazem, na verdade? Matam, no cidadão comum, a esperança de que a esquerda pudesse ser diferente do lixo que a direita é.

Modificar a decisão de um julgamento politizadíssimo graças ao voto de dois ministros que dele não participaram e estavam moralmente obrigados a abster-se garante um objetivo imediato, mas será compreendido pelas pessoas capazes de ver um palmo na frente do nariz como mera trapaça. Virada de mesa. Uma mão ganha com dois curingas tirados da manga.

Vitórias desse tipo só nos conduzem a uma derrota tão acachapante quanto a que o stalinismo sofreu.

Existimos para despertar a consciência dos explorados, de forma que possam tornar-se sujeitos de sua vida e da História. Não para reduzi-los ao fanatismo obtuso dos torcedores de futebol.